Total de visualizações de página

terça-feira, 23 de julho de 2019

TEXTO: HISTÓRIA DO DIA 2

18 DE AGOSTO
MORTE DE GENGIS KHAN
No ano de 1227, no dia 18 de agosto, morria o lendário líder mongol Gengis Khan, conquistador responsável pela construção de um dos maiores impérios já existentes sobre a Terra.
Gengis Khan era príncipe de sangue por ser um suposto bisneto de Kabul Khan, que governara a Mongólia unificada décadas antes. Seu nome original era Temujin, filho do casal Yesugei e Hoelun.
Temujin nasceu, provavelmente, em 1162, às margens do Rio Orhon e sucedeu seu pai aos treze anos de idade. Consta que assassinou o próprio irmão mais velho por conta de uma disputa de caça.
Sua primeira vitória militar ocorreu em 1203, contra a tribo dos Keraites e, a partir dai, não parou mais, recebendo o título de Gengis Khan (Imperador Universal) e iniciando uma campanha de conquistas que durou 25 anos de guerras.
Neste período os mongóis conquistaram grande parte da China, vastas áreas na Rússia e na Pérsia, Hungria e Polônia, chegando a ameaçar a Europa Ocidental.
O tamanho do Império Mongol, comparado ao Império Romano. Ambos não coexistiram.

Ao contrário do que se pode pensar, Gengis Khan era um planejador meticuloso e suas campanhas militares eram precedidas de vários meses de planejamento com o “reconhecimento das estradas, do envio de batedores e espiões e de armazenamento de víveres nas etapas previstas.
Após uma conquista, quando não raras vezes todos os inimigos, suas famílias e até animais domésticos eram assassinados, Gengis Khan ordenava a reconstrução das localidades destruídas, realocando populações sob novas administrações e implantando sistemas que unificavam o império:
No Império Mongol, que ele levou 20 anos para criar e outros tantos para consolidar, era possível ir da China ao Oriente Médio e à Europa por uma rede de estradas protegidas, ao comercializar produtos usando padrões de peso e câmbio definidos por um poder centralizado. No século 13, já circulava pelas terras tomadas por Gêngis Khan o papel-moeda, impresso em gráficas, 200 anos antes de Johannes Gutemberg criar a impressão com tipos móveis no Ocidente. Iletrados, os mongóis mantinham pessoas de cada povo conquistado em importantes postos da administração pública. Recrutavam especialistas de outras nações para seguir com eles: astrônomos muçulmanos, engenheiros chineses (que construíam canhões), mineiros germânicos... Gente de culturas e religiões distintas conviviam pacificamente.
Em 1227 Gengis enviara tropas para mais conquistas na Rússia e Ucrânia. Quando estourou uma revolta entre o povo dos tangutes, o próprio Khan retornou para combatê-los e vencê-los. Mas, após esta última vitória, Gengis Khan foi acometido de febre e dores de cabeça que o levaram à morte.
Além do legado cultural, Gengis Khan pode ter deixado atrás de si uma herança genética que unifica nada menos que 12 milhões de pessoas, ou cerca de 8% da população que vivem entre o Oceano Pacífico e o Mar Cáspio.
É o que supõe geneticistas britânicos da Universidade de Oxford quando examinaram cromossomos de homens da Ásia. Esse Gengis Khan era mesmo um conquistador! 
Fontes:
http://www.sohistoria.com.br/biografias/gengis/
http://www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens/ele_fez_o_mundo_tremer.html
http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/conheca-historia-lider-mongol-gengis-khan-706646.shtml
https://pt.wikipedia.org/wiki/Gengis_Khan
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u8334.shtml

Imagens:
http://www.terminals.hol.es/genghis-khan-essay.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Genghis_Khan_Equestrian_Statue
http://acsmongols.weebly.com/extent-of-influence.html
Google Street View

Nenhum comentário:

Postar um comentário